As cornetas mais criativas do futebol

Texto sensacional do Papo de Homem

Na linguagem do boleiro, “corneta” é o deboche direcionado ao rival. Sua ação, seja espontânea ou planejada, não depende da complacência da parte atingida. Basta um fato vexatório para que a agremiação envolvida torne-se alvo de tal aplicação, na maioria das vezes, de elogiável criatividade e sem brechas para possível reação – a não ser, o dito espírito esportivo.

Tem corneta de todos os tipos. Pra todos os lados.

E algumas bem divertidas.

O fantasma da série B e outras cornetas

Torcida do Boca usou o “fantasma de la b” para assustar o River Plate em 2011

Muitos devem ter visto o “fantasma da B” pelos estádios brasileiros nessa reta final de Campeonato Brasileiro. O espectro é uma versão brazuca da corneta criada há anos pela torcida argentina. A imagem do fantasma para simbolizar a queda faz parte da cultura futebolística daquele país (assim como, no Brasil, acusar um time de “cavalo paraguaio” significa a provável queda de rendimento). Durante esse ano, a hinchada do Racing foi muito feliz ao utilizar essa figura para atormentar o Independiente, seu grande rival.

A história começa em junho. Derrapando na tabela do Apertura, o Independiente vinha em queda livre. Crise financeira e problemas de vestiário eram apenas alguns fatores que atraiam a assombração. E ela decidiu aparecer. Em vídeo criado por um torcedor do Racing, o fantasma dirige pelos arredores Avellaneda até o estádio Libertadores da América.


Link YouTube | “Disculpa maestro.”

A produção fez muito sucesso na Argentina e logo ganhou repercussão em rádios, tv e jornais. Tranformou-se de uma provocação isolada para um dos ícones do rebaixamento do Independiente, reaparecendo na arquibancada durante jogos, ganhando versões alternativas e, claro, passando o final de ano no Brasil.

Porém, nada se compara ao senso de apropriação da Puma para surfar no sucesso da fantasma. Celebrando a classificação do Uruguai para a Copa do Mundo de 2014, a fornecedora de material esportiva da celeste relembrou o Maracanazzo da maneira mais atual possível: utilizando a popularidade da figura na América do Sul e executando a ideia com maestria.

Foi chamada “corneta de oportunidade”.


Link YouTube | BU!

Não existem registros das primeiras cornetas do futebol. Dos anos 90 pra cá, os patrocinadores, além de celebrar títulos, não têm exitado na hora de cornetar adversários de maneira oficial. O mesmo acontece com os próprios clubes, que dão ainda mais graça à rivalidade humanizando seus perfis em redes sociais para provocar e valorizar-se.

Na tarde de ontem tivemos um caso que já se tornou emblemárico. A fanpage oficial do Grêmiopostou no header a imagem de um torcedor portando um par de binóculos. A foto é uma referência à resposta de Renato Portaluppi, técnico do Grêmio, ao comentário de D’alessandro que acusava o Grêmio de “jogar dando balão”. “Tem time que tenta jogar bonito e tá nos vendo de binóculo [sic] na ponta da tabela”, argumentou o técnico do Grêmio.

O fantasma da série B e outras cornetas

A foto, assim que postada, foi compartilhada por centenas de gremistas. E, claro, chegou aos olhares da administração da fanpage do Internacional. A resposta foi excelente. Do tamanho da história desses dois clubes:

O fantasma da série B e outras cornetas

Na próxima quinta-feira será realizado o sorteio de grupos da Taça Libertadores 2014. Será que o Grêmio responde com as lentes dos binóculos exibindo a chave do tricolor?

A ver.

O campeão da América parabeniza o campeão nacional

Outro que foi vítima de uma cornetinha esse ano foi o Cruzeiro. Depois de atropelar todo mundo no Brasileirão e garantir o tri, o time de Minas recebeu a devida homenagem do seu maior rival, o Atlético Mineiro. O anúncio abaixo foi veiculado nos principais jornais do estado e logo ganhou destaque nos sites esportivos.

Na peça, o Campeão da América destaca, em letras miúdas, os campeões nacionais do continente. Já podemos prever uma resposta do Cruzeiro em caso de derrota do Galo no mundial.

O fantasma da série B e outras cornetas

Peixe

Direto de 2009: o peixe da Nike. Um clássico instantâneo.

A homenagem, publicada em jornal e enviada para vários blogs de publicidade e humor, repercutiu de maneira polêmica em Santos. Anos depois, quando a proposta de patrocínio da marca foi levada ao conselho do clube praiano, dirigentes relembraram a provocação e cogitaram uma negativa. Felizmente – para ambos os lados-, o bom senso prevaleceu, o contrato foi assinado e ninguém mais fala do episódio.

Por isso fazemos questão de relembrar.

O fantasma da série B e outras cornetas

O primeiro dá parabéns ao segundo

Voltando ao Grenal, que sempre rende boas provocações, temos mais um anúncio de jornal. A ideia do Grêmio foi homenagear o Internacional pelo segundo título da Libertadores da América, em 2010, lembando que já havia passado por essa emoção há 15 anos.

A ironia foi uma resposta a uma cornetada do Inter em junho, quando o Grêmio recebeu a certificação ISO 9001, que atesta sua qualidade em processos de atendimento aos sócios, organização de jogos, entre outros. O colorado fez questão de destacar que o Grêmio era o segundo clube do Rio Grande do Sul a obter o certificado – Inter já possuía tal título desde 2008.

O fantasma da série B e outras cornetas

Mal sabia o Grêmio que o Internacional já havia comprado uma página dessa mesma edição de Zero Hora. Com, inclusive, uma bela direção de arte, o anúncio destacava o curto tempo dos títulos do Inter – ao contrário do Grêmio, que teve que esperar 12 anos para ser bi-campeão da América.

Có-rneta

O galo é o símbolo máximo não-oficial da França. Foi adotado pelos fanáticos pelo futebol e gentilmente aceito pela federação de futebol francesa. Volta e meia, figura entre as provocações dos rivais.

Em novembro, para anunciar a transmissão do jogo contra a Ucrânia pelas eliminatórias da Copa, uma TV francesa colocou o galo no chapéu ucraniano e a frase: “nós vamos estar em casa na Ucrânia”.

Os europeus do leste, no entanto, venceram o jogo e responderam com a chamada: “nós comemos o frango como se fosse café da manhã”.

O fantasma da série B e outras cornetas

No museu

Essa foto de uma camisa vermelha é no museu do Borussia Dortmund. Não estranhe. De acordo com o site português Mais Futebol, a exposição nada mais é que uma provocação ao Bayern de Munique, vítima do ex-atacante norueguês do Manchester United na final da Champions League da temporada 1998/99.

O fantasma da série B e outras cornetas

Ao que parece, a camiseta está lá até hoje. O leitor do PapodeHomem que for passar as férias em Dortmund, por favor, não deixe de dar uma passadinha no museu do Borussia e confirmar o fato.

E caso você queira contribuir com o post, fique a vontade para relembrar outras cornetadas homéricas nos comentários. Alguma que sirvam para inspirar as piadas da temporada seguinte.

Afinal, saber agir com dignidade às provocações só deixam o futebol ainda mais divertido. Especialmente quando há consciência que a grandeza de um clube depende – também – do tamanho do seu rival.

Comentários

INSCREVA-SE EM NOSSO CANAL
Pelada na Net
E-Consulters Web Não Intendo Tenso O Macho Alpha Testosterona Capinaremos Mentirinhas Will Tirando
Categorias
<