Coluna do Grêmio #1 – Não tenha medo de arriscar Fábio Koff | FUTIRINHAS

Coluna do Grêmio #1 – Não tenha medo de arriscar Fábio Koff

Por Rafael Costa

Parafraseando um saudoso e ‘certo’ capitão Rodrigo: “Buenas e me espalho! Nos pequenos dou de prancha; nos grande dou de talho”.
Resgatando esta introdução pampeana e característica dos bravos e destemidos, eis que se apresenta um tricolor gaúcho apaixonado pela escrita descrita reescrita e prescrita.

Rafael Costa, empresário bem enamorado, músico nas horas vagas e Bacharelando em Ciências da Computação…. Tem no Grêmio F.B.P.A sua veia futebolística e principal pauta.
Tem em sua assinatura ortográfica a acidez necessária para, de forma lúcida, disseminar comentários críticos e construtivos de corneta e amendoim.
Acostumado às glórias e ao sofrimento, o céu e o inferno, vive do ontem, no hoje, em função de um depois.

Gremio-Campeao-Libertadores-95-640x480-Divulgacao

Não é de hoje que venho avaliando e criticando a postura de alguns dirigentes, a cultura de alguns times e principalmente, numa zona mais abrangente, as variáveis que incidem sobre o futebol brasileiro em geral, convocando as entidades e organizações às buscas por resultado imediato e consequente dança dos técnicos.

Mas para o início da conversa, antes que os mais exaltados aprofundem-se naquela que não é a tônica da coluna e dissertem sobre ‘n’ razões que levam o cenário a ser este e funcionar conforme o script, quero me ater a um tipo de pessoa predestinada.
São elas que, silenciosamente, inflamam e transbordam coragem para fugir do comodismo, do pragmatismo, de rejeitar rótulos impostos por circunstâncias, afinal, eles mesmos criam suas próprias.

Eu conheço uma pessoa assim.
Já a vi, nestas andanças da vida, tomando um ato de coragem e bravura ao estufar o peito, preencher os pulmões de ar e decretar: Aqui não.

Se o nome de Dr. Fábio Koff lhe veio à mente, então estamos pensando da mesma forma.
Lembro de nossa última conquista na libertadores, quando todos queriam o pescoço de um certo Felipão, nosso treinador na época…

A imprensa aguardava ansiosa, feito urubus à espreita da carne fresca prestes ao abate, antevendo a tensa reunião que culminaria na saída do treinador nos anos noventa.
De lá sai Fábio Koff, na época mais novo e não menos vitorioso, que toma os microfones em posse para anunciar: “enquanto eu for dirigente do Grêmio, o Felipe é nosso treinador.”

Lembro do desgosto de boa parte do Rio Grande do Sul. Do jornalista ao torcedor menos desinformado e influenciado pelo momento, todos queriam a saída do treinador que logo à frente nos deu a segunda Libertadores.
Koff confiou em sua intuição e acertou.

***

Resgato esta lembrança porque vejo nos tempos de hoje um Koff ainda mais matreiro: o homem que chamou para si a responsabilidade de revigorar o Grêmio dentro e fora das quatro linhas.
O homem que nos deu um mundial, duas libertadores e tantas outras glórias.
E por fim o mito, que mesmo de idade avançada exalta a experiência ao novamente brandir a espada assegurando a permanência de Vanderlei Luxemburgo quando se via numa sala com conselheiros que ferviam pedindo o oposto.

Fábio Koff é um homem consagrado porque soube assumir riscos.
Porque em problemas, enxerga oportunidades – e estas jamais terão o seu tamanho!

Fábio Koff entende que o Grêmio precisa ser Grêmio… E que Vanderlei Luxemburgo, antes abastecido pela covardia do presidente anterior ao conceder-lhe poderes além da conta, precisa se preocupar unicamente em treinar o time…
… Porque nem isto vem fazendo.

O homem tem competência, só precisa foco.
Dr. Fábio Koff irá assegurar este foco.

Os jogadores, mesmo que empreguem a malandragem de boleiro, sabem que existe no vestiário uma cobra ainda muito mais criada… E celebram o fato de tê-la ao seu lado.

É, gremistas de todo o Brasil…
Estou me agarrando nos instintos de Koff, para uma vez mais, provar aos críticos de pensamento uniforme o quanto podemos “mudar não mudando”.
Não precisa mudar o treinador: que mude as posturas e se coloque os pingos nos i’s .
Temos plantel qualificadíssimo e um treinador vitorioso que pode retomar as conquistas caso queira voltar a ser tão somente treinador.

Para tanto, saudemos o Dr. Fábio Koff e não tenhamos medo de arriscar!
Seja em nossa vida profissional ou pessoal, não tenhamos medo de investir (seja dinheiro, conhecimento, uma decisão ou uma mudança): o mundo é para vencedores!

Da-lhe!

Comentários

INSCREVA-SE EM NOSSO CANAL
Pelada na Net
Não Intendo Tenso O Macho Alpha Testosterona Capinaremos Mentirinhas Will Tirando
Categorias
<